Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Supera-TE

Supera-TE

Somos grandes, somos muito grandes...

13615347_1133402953365711_8406666702946692061_n[1]

 

No início da criação do Supera-TE partilhei aqui que descobri que a minha vontade em superar está muito relacionada com o desporto. Na altura, atravessava uma fase menos boa da minha vida, quando descobri na corrida uma fonte de energia e de boost de boa disposição. Sempre tive uma relação simpática com o desporto e é algo que gosto bastante de praticar e ver praticar. Por isso, os acontecimentos do último domingo foram bastante agradáveis tanto a nível desportivo, como no que diz respeito à superação dos nossos atletas nas várias modalidades. Foi um dia em grande!!! E se conseguirmos visualizar além dos festejos, que ainda se fazem sentir, será uma motivação para entendermos que a vontade, a força de vontade, é o verdadeiro caminho para a superação. Que coloquemos os olhos nestes vencedores e saibamos encontrar energia e força para ultrapassar e superar as adversidades da vida. Parabéns atletas, que as vossas (nossas) vitórias sejam o impulso para os 11 milhões que torceram, choraram e gritaram por vocês. 

Já provámos...

No post anterior a TC deu o seu testemunho sobre a alteração nos seus hábitos alimentares. Pois é, no último fim de semana a "grupeta" reuniu-se e vai que a sopa para o jantar foi confecionada pela própria TC: creme de couve roxa e couve flor. Foi com esta especialidade que nos brindou e comprovou que comer saudavelmente também pode ser feito de maneira bastante saborosa.

Obrigada TC, esperamos por mais surpresas saborosas como esta.

 

THIS.jpg

 Créditos da imagem @IL

Testemunho de Superação

Conheci a TC na faculdade, faz este ano precisamente dez anos. Era alta, espadaúda, usava óculos e era a mais nova da turma. Se não me engano era das poucas que começou a faculdade ainda com dezassete aninhos porque só veio a completar a maioridade, no final do ano, em dezembro. Foi assim, alta e espadaúda, até bem depois de terminarmos o curso. Quer dizer, alta continua a ser porque, felizmente, ninguém lhe roeu os pés!!! A verdade é que nos últimos tempos foi somando uns quilos ao seu peso, e quilo a quilo, a "faixa de gaja" (como ela própria apelidou o seu pneu) a coisa já se notava, e bem.

            Tudo começou com a marcação de uma consulta de nutrição, o que achei lindamente e incentivei-a. Primeiro foi a mudança na alimentação, depois veio a prática das caminhadas e hoje comtemplou-nos com um texto para o Supera-TE, onde relata a sua mudança para um estilo de vida mais saudável, mas principalmente um estilo de vida que faz da TC uma pessoa mais feliz e bem com o que encontra no espelho.

 

            "Esta será a minha estreia a escrever para um blog. Se querem que vos diga, não sou muito dada a estas coisas de escrever, gosto mais de números. Mas como a minha amiga IL não parou de me melgar para contar a minha história de "mudança de vida" aqui estou eu, para vos contar como tudo aconteceu, e nada melhor que um dia de chuva para me inspirar!

            No emprego que tenho, mas que não escolhi, os meus fiéis amigos são o computador, um rato, um teclado, uma impressora e uma cadeira que aguenta comigo todos os dias e, à qual gosto de fazer cócegas e rodar com ela de um lado por o outro! Foi num dia em que sentada, nessa mesma cadeira, comecei a observar e a sentir, que quando me mexia os meus braços tocavam, na minha "faixa de gaja", aquele pneu que se aloja na zona da cintura. "Faixa de gaja" essa, que se foi agravando porque passo o dia inteiro sentada, uma vez que só me levanto para ir ao wc e tirar cópias, e porque comia tudo o que tinha na gaveta, que por sinal era tudo menos coisas saudáveis. Depois, aquela idade dos 30 que se aproximava, e toda a gente dizia, "Vais ver, tudo vai mudar, nada vai ser como antes, o teu corpo vai reagir de forma diferente..." E eu pensava, "Será que isto vai ser mesmo assim? O melhor mesmo é precaver-me!". A verdade é que aquela "faixa de gaja" começou a afetar a minha mente e, cada vez que estava sentada e sentia-a com os braços...custava-me imenso e cheguei a achar-me gorda! Comecei a pensar que tudo tinha de mudar. Na altura pesava 68kg, não era muito para o 1,74m que tenho....

            Fiz os meus belos 30 anos em dezembro e a 12 de janeiro estava a entrar para a minha primeira consulta de nutrição. Depois de tirar as diversas medições, verifiquei que tinha mesmo que me empenhar. A minha alimentação não era assim tão má, só tinha que a readaptar... Ao falar com a nutricionista disse-lhe "Não me tire o que mais gosto, a sopa". Depois do plano traçado, o que estava mesmo proibida de comer era doces, aos quais não conseguia, nem consigo resistir. O exercício físico também era fundamental. Mas, como sempre detestei desporto, fiquei-me pelas caminhadas. É melhor que nada!

            E lá comecei a minha dieta! Nos primeiros quinze dias, e depois de ter pecado algumas vezes, consegui perder 1,5kg. E, passados cinco meses já tinha perdido os 7kg que me fariam sentir espetacularmente bem. Estava, então com 60kg!... Seria o peso ideal.

            Durante este percurso, em que tive o acompanhamento de um profissional a regra e a disciplina foi muito importante, mas é muito complicado gerir tudo. Almoçar no refeitório da empresa, não proporciona muita escolha e variedade, os acompanhamentos são quase sempre os mesmos: massa, arroz e batatas cozidas ou fritas. Depois, vem a parte das colegas e dos seus comentários, que olham para o teu prato, que uma pessoa tenta camuflar com alface para que pareça cheio, e começam a criticar-te.... Pois é, criticam porque não conseguem fazer o que fazes, e porque invejam a tua elegância. Pena, a nossa gordura não desaparecer com as críticas dos outros, seria mais fácil! Ainda hoje, passado um ano me criticam… Mas nada tem que ser fácil, não é verdade!

            Desde junho que não tenho qualquer tipo de acompanhamento, mantenho a minha alimentação cuidada, mas não descuro de uma sobremesa quando tem de ser. Como tudo o que me apetece comer, mas no dia a seguir já tenho que ter o devido cuidado... Mas para vos ser sincera há coisas que já nem me sabem bem... Aprendi a cozinhar de forma diferente. As minhas sopas coloridas e, decoradas com sementes são fantásticas e começam a ganhar fãs!

            A última vez que fui a um restaurante de fast food dei por mim a pensar enquanto comia, "Isto não me sabe nada bem, estava tão ansiosa para voltar cá novamente e agora.... que deceção!". Foi em dezembro, estamos em março e, nunca mais lá coloquei os pés! As caminhadas também me têm ajudado imenso, sinto-me bem, mais descontraída e se por algum motivo não conseguir ir num dia, começo a sentir os primeiros remorsos...

            A minha amiga IL ao ler isto está a pensar "Quem diria, a minha TC...". Pois é, as coisas mudam... E tu ajudaste-me...E depois de me dares tanto nas orelhas, "que correr faz bem, que te sentes bem e que tu consegues". Dei-lhe ouvidos e.... comecei a correr e até consigo... Já consegui fazer 3km... Não morri e CONSEGUI! É pouco eu sei mas, temos que ir aos poucos, conquistando um pouco de cada vez. E não é a descer, amigo JC!

            Agora é para continuar e, quem sabe um dia estarei ao teu lado a fazer 10km. Obrigada aos amigos que me aconselham e que me fazem ver que somos capazes de fazer tudo, só é preciso ACREDITAR!"

 

            Espetacular o relato da TC. Sim, dei-te muitas vezes nas orelhas e fico feliz por isso, mas principalmente porque resultado fez de ti também uma pessoa, ainda mais, feliz. Esperamos todos por um próximo texto, a relatar, quem sabe, a aventura da primeira corrida oficial.

            A todos os que procuram uma inspiração, uma motivação para mudar de estilo de vida acreditem que a maior motivação está dentro de nós. Acreditem em vós e não se esqueçam de SUPERAR.

            Obrigada TC. Grata e orgulhosa pelo teu testemunho.

12928384_995529577148879_701242940505885841_n[1].j

 Créditos de imagem @TC - Sopa colorida de couve roxa e couve flor

Viajar também é Superar

Os amigos que me conhecem, verdadeiramente, sabem que uma das coisas que me faz mais feliz é viajar. Conhecer sítios, gente nova, descobrir lugares nunca antes explorados e encher a vista de coisas realmente magníficas são situações que me deixam bastante grata e satisfeita. Uma região que não conhecia, de todo, em Portugal era o interior norte do país. Aproveitamos o fim-de-semana prolongado da Páscoa e fizemos umas mini férias a dois. Enchemos os pulmões de ar puro e a vista de lugares maravilhosos. Afinal, viajar também é uma forma de Superar. Aqui fica o registo captado pela lente da máquina fotográfica.

 

IMG_1123.JPG

IMG_1127.JPG

IMG_1169.JPG

IMG_1185.JPG

IMG_1199.JPG

IMG_1204.JPG

 

 

IMG_1354.JPG

IMG_1358.JPG

IMG_1359.JPG

IMG_1360.JPG

 

Créditos da imagem @IL

 

 

 

Continua a Superar-SE...

Sim, pelo menos o João Manuel tenho a certeza que continua com essa vontade. Lembram-se deste post?! No qual vos falei de um grupo de jovens com muita vontade de Superar. Pois bem, vi o João Manuel, vencedor do concurso televisivo Peso Pesado Teen, também a correr a Meia Maratona, no passado domingo. Passei por ele e não pude deixar de lhe dizer: "É isso mesmo atleta, vamos lá, está quase!" Aquele incentivo, que quem corre, gosta sempre de ouvir. Ele simplesmente sorriu. Entendi o seu sorriso envergonhado como um, obrigado!

joao manuel.jpg

 Créditos da imagem: Peso Pesado Teen Sic

 

Corri a minha primeira Meia Maratona

12495995_1018281908240801_9044398104697048537_o[1]

 

No domingo corri a minha primeira Meia Maratona. Inscrevi-me na Meia Maratona de Lisboa no final de 2015, pois para além de ser uma resolução para 2016, apetecia-me arriscar correr uma distância maior, visto que já corro há dois anos. Na altura que decidi inscrever-me achava que atravessar a ponte 25 de Abril a correr seria qualquer coisa de espetacular, e é meus amigos, acreditem que é. Apesar de ter realizado a prova sozinha, tive o Tejo e 34999 pessoas como companhia. A cara-metade deixou-me na estação do Areeiro e esperou por mim nos Jerónimos, mas antes de nos separamos por uma horas deu-me mil e um conselhos: que tivesse cuidado, que não me partisse toda e que estivesse atenta aos sinais do corpo, se fosse para parar que parasse. A ti, meu amor, muito obrigada por me incentivares por estas andanças e por estares sempre lá a puxar por mim.

Na noite anterior não consegui dormir grande coisa, pois a mente não conseguia desligar do objetivo da manhã seguinte. Cheguei relativamente cedo a Lisboa, uma vez que tinha de apanhar o comboio na estação do Areeiro para passar para a margem sul. Ao chegar à estação do Pragal procurei um wc, porque pensei que seria preferível, antes de começar a fazer 21km. No entanto, a ida ao wc valeu-me mais de trinta minutos numa fila que parecia interminável, pois todas as mulheres tiveram a mesma ideia, ou vontade! Resultado, não consegui chegar ao local da partida e estar tranquila a desfrutar da vista e do ambiente desportirvo que se faz sentir neste tipo de eventos, tal como tinha previsto. Assim sendo, foi sair da estação, ir a correr para a partida e ao mesmo tempo aproveitar para fazer o aquecimento e ainda comer uma banana. Quando cheguei juntei-me à caravana de atletas porque o tiro de partida já tinha sido dado.

Optei por ir o mais à direita possível e aproveitar para apreciar a beleza de Lisboa. A ponte passa-se relativamente depressa, depois o percurso é feito entre a Avenida 24 de Julho, a Avenida da Índia, Dafundo e regressar até aos Jerónimos.

O objetivo que defini para esta prova era simplesmente chegar ao fim e fazer toda o percurso a correr. Foi cumprido embora tivesse ido com bastante receio. Tendo em conta que não era uma prova de 10km, as quais já realizo confortavelmente, o meu maior receio era não saber dosear o esforço e não chegar ao fim. Iniciei a um ritmo muito baixo e aos 10km já ia com mais de uma hora, no entanto, sentia-me bem e decidi acelerar um pouco o ritmo. Cheguei à meta com 2h17m30s de prova. Um tempo sem nada de espetacular, mas isso será para melhorar em provas futuras da mesma distância.

Durante todo o percurso apreciei muito a paisagem, pensei bastante em várias situações, entre as quais, o que iria partilhar convosco neste post. De maneira, que a tarefa maçadora de contabilizar quantos quilómetros faltavam para o fim, foi algo que me passou ao lado, pois estava bem e distraída com muitas outras coisas. Lembro-me de ver algumas placas indicadoras com os quilómetros percorridos, mas a especial foi a placa que indicava 19km feitos e pensar que estava na altura de dar o meu melhor, uma vez que estava a dois quilómetros da meta.

Já li, nas redes sociais, alguns testemunhos de pessoas que realizaram também esta prova, algumas pela primeira vez, outras não, e em comum comigo identifico o poder de superação, de orgulho próprio, de vontade de gritar aos quatro cantos do mundo que conseguimos correr uma meia maratona, 21km! Ok, é certo que não descobri petróleo na minha garagem, nem algo de outra galáxia, mas para mim, o extraordinário é isto: superar-me em cada dia da minha vida ou em cada objetivo a que me proponho. A sensação de cortar a meta é espetacular, dá vontade de abraçar toda a gente, de rir, chorar e até lançar fogo de artifício.

A felicidade reside dentro de nós.

12884453_986904941363846_938337045_n[1].jpg

 

Não há duas sem três

primavera.jpg

 

Hoje corri a minha primeira meia maratona.

Hoje assinalou-se o dia mundial da felicidade.

E ainda hoje, teve início a estação da vida, da alegria e da cor: a primavera.

Perante isto, só me resta dizer que foi um dia em grande, um dia de emoções e de grandes superações.

Sobre a meia martona, vou contar tudinho por aqui. Fiquem atentos!!!

Entretanto vou só descansar a pestana porque o dia amanhã começará bem cedo.

Votos de uma excelente semana com muitas superações pelo meio.

 

 

14 magníficos a Superarem-SE

10295469_1195007637195085_8514919296177854429_o[1]

 

Ontem terminou um programa de Tv que, sempre que tinha oportunidade, gostava de seguir, o Peso Pesado Teen na Sic. Talvez muitos de vós não entendam, mas como falo na primeira pessoa, eu consegui entender aquele grupo de jovens e as razões que os levou a exporem-se. Talvez tenham ganho coragem para pôr um ponto final numa vida desregrada; talvez tenham decidido arregaçar as mangas e começar a lutar contra algo que os ensombrava há tempos; talvez tenham encontrado a oportunidade de perder peso com acompanhamento adequado ou apenas tenham decidido mudar de vida. Qualquer que tenha sido o motivo que os levou a participar no programa estão de parabéns pois foi um passo em frente nas suas vidas.

Nunca lutei contra a obesidade, graças a Deus, mas fui "cheiinha" na minha adolescência e sei perfeitamente que ter um corpo fora das ditas medidas convencionais, pode arrasar com a nossa autoestima.

Passaram-se dezasseis semanas e estão irreconhecíveis, uns mais do que outros, mas o mais importante é que, sem dúvida, as suas autoestimas alcançaram níveis, que já não alcançavam há muito, ou que eram mesmo desconhecidos. A luta daqueles catorze magníficos jovens não terminou ontem com o final do programa, e como disse, e muito bem, um ex-concorrente do Peso Pesado, "… a vossa luta contra a obesidade começa agora quando as luzes se apagarem…".

O programa foi apenas o motor de arranque, mas a obesidade terá sido uma experiência tão negativa, que acredito que nenhum deles quererá voltar a ter o peso que tinha no início do concurso.

Força maltinha, continuem a mexer esses rabiosques e a educar esse paladar.

 

 Créditos da imagem: Peso Pesado Teen Sic

Supera-Te na São Silvestre de Lisboa

Tínhamos falado aqui que as meninas do Supera-TE, este ano, iriam participar na São Silvestre de Lisboa, lembram-se? Na verdade, eu seria repetente nesta prova, mas a CL iria fazer a sua estreia. No entanto, uma inflamação nas vias respiratórias não permitiu que a minha companheira estivesse capaz de me acompanhar, com enorme pena minha. CL, em 2016 teremos que participar numa prova juntas, certo?! Conto contigo.

Assim sendo, no dia 26 de dezembro, estive na São Silvestre de Lisboa uma vez mais a tentar superar-me. Se consegui? Sim, consegui em relação ao ano anterior. Dos 55 minutos e 47 segundos de 2014 consegui baixar para 00:53:33. Ainda não foi desta que fiquei abaixo dos 50 minutos numa prova de 10 km, mas vou continuar a treinar para isso.

Uma vez mais a organização estava cinco estrelas e as pessoas compareceram em peso para apoiar os atletas. É uma prova com um ambiente espetacular, recomendo vivamente.

Quanto a corridas futuras, a inscrição na Meia Maratona de Lisboa já esta feita!!! :-) (Sim, é uma das resoluções para 2016)

Obrigada à minha cara-metade e ao sobrinho pela companhia e comigo somaram mais 10 km aos vossos pezinhos.

SSilvestre.jpg

 Créditos da imagem@IL

3 anos de Londres

Hoje faz 3 anos que embarquei na maior aventura da minha vida e cheguei a Londres. 3 anos e um livro cheio de doces memórias. Londres fez de mim uma pessoa melhor, definitivamente. Foi em Londres que descobri capacidades de superaçāo que desconhecia ter. Londres tornou-me uma pessoa resiliente, mais capaz. Londres ensinou-me a ser persistente e acreditar genuinamente naquilo que me faz mais feliz.

Londres ensinou-me a aceitar a multiculturalidade como uma riqueza de conhecimentos. Londres ensinou-me que é possível acreditar em impossiveis basta darmos o melhor de nós. Londres ensinou-me que é possível ter duas casas, aquela onde nascemos e aquela que nos acolheu. Londres ensinou-me que é possível viver sem o julgamento dos outros, sem a constante análise do que vestes, do que fazes, de quanto dinheiro ganhas, porque isso nao interessa nada. Mesmo que saías de casa feia ao olhos dos outros o que interessa mesmo é quanta felicidade interior levas dentro de ti . Em Londres aprendi a olhar para mim. Que venham mais três, mais três e ainda mais três !

london best photo.jpg

créditos da imagem @CL Numa das melhores vistas de Londres há 2 anos atrás.

Mais sobre mim

Posts mais comentados

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D